Revista eletrônica de divulgação holística. Artigos, crônicas e parábolas de abordagens científicas e espirituais. Um portal de acesso para o autoconhecimento, a meditação e a consciência de viver com plenitude no aqui e no agora.
  • Home  /
  • Tantra   /
  • TANTRA É O OPOSTO DA PORNOGRAFIA – APRENDA COMO TER VERDADEIRA INTIMIDADE
TANTRA É O OPOSTO DA PORNOGRAFIA – APRENDA COMO TER VERDADEIRA INTIMIDADE tantra estar em si - Estudar e vivenciar o tantra pode curar nossos vícios de pornografia? Explorar nossos sentidos naturais afim de experimentar o êxtase pode mudar nossa realidade de mundo? Eu estava muito nervosa quando pela primeira vez percebi que queria ensinar Tantra. O que as pessoas pensariam sobre isto? Será que elas iriam se sentir ofendidas? Falar sobre […] Full view

Estudar e vivenciar o tantra pode curar nossos vícios de pornografia? Explorar nossos sentidos naturais afim de experimentar o êxtase pode mudar nossa realidade de mundo?

Eu estava muito nervosa quando pela primeira vez percebi que queria ensinar Tantra. O que as pessoas pensariam sobre isto? Será que elas iriam se sentir ofendidas? Falar sobre sexo é algo como um 'ah, não.' Eu moro em uma comunidade muito pequena e conservadora, como é que isto iria funcionar?

Mas, então, um grande amigo me disse: "Você percebe que você está oferecendo às pessoas? Tantra é essencialmente o oposto da pornografia." Depois que me dei conta disso, nunca mais tive dúvidas de seguir em frente!

A pornografia é uma coisa engraçada. Apesar de algumas opiniões, eu acredito que não é inerentemente má. Muitas pessoas realmente gostam de assistir pornografia, incluindo muitos casais que assistem juntos para terem novas experiências. No entanto, é inegável que aparentemente existam alguns aspectos realmente obscuros na pornografia. 

Além dos óbvios abusos, violência e qualquer outra coisa que envolvam as crianças, há questões muito mais insidiosas:

1) nossa aparência passa a ter exagerada relevância

Pornografia se concentra em ser estimulado através do corpo. E assim, nosso subconsciente diz que a sexualidade depende do que nosso corpo parece. Você deve ser nova(o), magra(o), ter seios rosados ​​ou um pênis grande, caso contrário, você não pode ser uma boa/bom amante. E, ironicamente, isso deflagra um enorme problema de auto-estima em todo mundo, particularmente naqueles que não vêem a si mesmos como jovens, saudáveis ​​e alegres. E para os que atendem a estes aspectos, muitas vezes não vêem a si mesmos como alegres ou bonitos o suficiente. Em última análise, ninguém se senti feliz consigo mesmo.

2) todo sucesso é sobre proporcionar prazer ao outro

Pornografia está concentrada em agradar o outro. Agora, obviamente, existe bem no fundo uma parte de nós que sabe que o desejo de agradar o nosso parceiro(a) é realmente uma coisa maravilhosa. Mas esta não é geralmente a forma como aparece na pornografia. Ela surge como a única coisa que é importante. Levar a outra pessoa ao orgasmo passa a ser é o único objetivo. E o que há de errado nesta questão? Bem, é a mensagem que nosso inconsciente recebe de que este é o único objetivo num ato sexual. Então, se você não pode levar o seu parceiro(a) ao orgasmo, não há porque fazer sexo. Acabamos por criar uma ansiedade no desempenho em dar e receber amor.

3) conexão e intimidade não são importantes

Pornografia não tem nada a ver com conexão. É simplesmente uma série de eventos físicos que duas pessoas fazem juntas. Não há conexão ou intimidade. E isso nem sempre é ruim, as vezes uma rodada de sexo meio 'rock and roll' e pornô, pode ser divertido, mas novamente, a ênfase neste aspecto, envia uma mensagem para a programação do nosso subconsciente de que é isso que é o sexo. Que a conexão não importa e que se trata apenas de desabafar e aliviar tensões.

4) de que isto é tudo que somos capazes de

A pior parte é que a pornografia faz-nos acreditar que isso é tudo que existe. Nós pensamos que sabemos tudo sobre o que é o sexo e que a pornografia nos lança para o que é mais excitante. Mas isso não é verdade.

A verdade é que nós, como seres humanos, estamos usando talvez, apenas 5% de nossas habilidades sexuais. É como ter um piano onde pensamos que existam apenas 10 teclas. Então, ficamos entretidos em compor músicas de uma ou duas notas. Mas, a verdade é que existem 88 teclas e poderíamos realmente criar e orquestrar uma extasiante sinfonia.  Mas, simplesmente não sabemos disso.

Pornografia aprofunda a crença de que músicas de uma nota só é tudo que conhecemos. Por isso, compor e ouvir canções irritantes é ainda tudo que nos interessa. Assim, estamos perdendo o melhor da festa. 

Então, como é que o Tantra pode mudar tudo isso?

Ele nos mostra as outras 78 teclas do piano e, em seguida, nos ensina a tocar.

1) Nós somos muito mais do que nossos corpos físicos

A parte mais sexy de nós não é a nossa fisionomia. Uma pessoa verdadeiramente sensual tem uma presença vibracional que é cativante e apaixonante. Podem olhar para você e gentilmente toca-lo de uma forma a deixá-lo profundamente encantado. Eles vão conduzi-lo através do silêncio interior, onde respirar e tocar um ao outro proporcionam calafrios e orgasmos ao longo de seus corpos. O que seu corpo experimentava até então, vai parecer bastante irrelevante.

2) prazer é maior quando é mútuo

Nós somos seres energéticos, bem como físicos. Quando estamos tocando nosso(a) parceiro(a), se estamos realmente presentes e desfrutando da sensação da pele do(a) nosso(a) parceiro(a), eles(as) vão sentir isso. Seu toque será diferente do que se você estivesse apenas fazendo isso para agrada-los(las). Quando você está realmente no momento, há uma eletricidade que vem alem do toque dos dedos (ou de outras pates sensuais) que permeia todo o corpo de seu parceiro(a). Enquanto o corpo de seu/sua parceiro(a) responde a isso, estes ciclos de prazer retornam a você, e os papeis do doador e do receptor começam a tornar-se misturados. Passa a existir apenas prazer sendo compartilhado, independentemente de quem está fazendo o quê.

3) tudo é conexão 

Somos desenhados para nos conectar uns com os outros em um nível muito profundo. Os seres humanos não se sentem bem sem sentir uma profunda conexão. Nós chamamos isso de "carência" e de "estar em desespero" quando alguém está se sentindo desconectado. Mas, é porque no fundo, sabemos verdadeiramente que somos capazes de uma conexão fenomenal. E quando nos sentimos nessa profunda conexão, coisas em nossas vidas, fluem bem melhor. A depressão diminui. Nós não nos sentimos tão ansiosos. Percebemos melhor as alegrias da vida. Agradecemos ao outro. Sentimos um nível de contentamento e felicidade que simplesmente não experimentamos quando estamos todos sozinhos.

No tantra, esta ligação vem em primeiro lugar. Este é o fundamento de todo o jogo sexual. É como se você primeiro tivesse que "plugar" um ao outro antes que a energia possa fluir. E assim, há uma intenção real em soltar nossas proteções e permitir cada um internamente conectar e experimentar realmente o outro.

4) O sexo está destinado a ser uma experiência Multi-Dimensional

Quando reunimos tudo o que realmente somos em nossas experiências íntimas, passamos de relações sexuais simplesmente físicas para uma experiência que envolve nossas mentes, emoções, sentimentos, intuição, paixão, presença, além de várias dimensões que você não pode nem mesmo explicar, elas simplesmente acontecem.

E a coisa mais interessante é que não se precisa de nenhum truque. Não há necessidade de métodos ou habilidades sexuais extravagantes. É, na verdade, algo incrivelmente natural e programado em nós, só não estamos conscientes para acessar.

Então, o Tantra vai livrar o mundo da pornografia?

Eu acho que não. Nós amamos o sexo. Nosso desejo sexual nos faz sentir vivos. E sinceramente, assistir outras pessoas fazendo sexo pode ser muito excitante.

Tantra cura as nossas relações reais com pessoas reais. Aprender como ser realmente íntimo com os outros, nos permite ter relações satisfatórias com as pessoas ao nosso redor. Nós sentimos ligações mais profundas e as nossas experiências íntimas realmente nos curam e nos fazem sentir maior conexão com nós mesmos!

Então, a pornografia não vai acabar, mas para muitos, o vício pode desaparecer, porque uma vez que você passa a experimentar o lado oposto, o seu verdadeiro potencial, uma verdadeira intimidade e as experiências sexuais que estamos destinados a ter, a pornografia tende a não mais te possuir. Ela simplesmente não se aproximará em comparação ao que se experimenta com o Tantra.

Quer dizer, uma vez que você dirigiu uma Ferrari, não poderá mais comparar com dirigir ou empurrar um carrinho de criança.

Autora: Katrina Bos - collective-evolution.com

Edição e tradução livre: Shakyamuni

TANTRA É O OPOSTO DA PORNOGRAFIA – APRENDA COMO TER VERDADEIRA INTIMIDADE

Estudar e vivenciar o tantra pode curar nossos vícios de pornografia? Explorar nossos sentidos naturais afim de experimentar o êxtase pode mudar nossa realidade de mundo?

Eu estava muito nervosa quando pela primeira vez percebi que queria ensinar Tantra. O que as pessoas pensariam sobre isto? Será que elas iriam se sentir ofendidas? Falar sobre sexo é algo como um ‘ah, não.’ Eu moro em uma comunidade muito pequena e conservadora, como é que isto iria funcionar?

Mas, então, um grande amigo me disse: “Você percebe que você está oferecendo às pessoas? Tantra é essencialmente o oposto da pornografia.” Depois que me dei conta disso, nunca mais tive dúvidas de seguir em frente!

A pornografia é uma coisa engraçada. Apesar de algumas opiniões, eu acredito que não é inerentemente má. Muitas pessoas realmente gostam de assistir pornografia, incluindo muitos casais que assistem juntos para terem novas experiências. No entanto, é inegável que aparentemente existam alguns aspectos realmente obscuros na pornografia. 

Além dos óbvios abusos, violência e qualquer outra coisa que envolvam as crianças, há questões muito mais insidiosas:

1) nossa aparência passa a ter exagerada relevância

Pornografia se concentra em ser estimulado através do corpo. E assim, nosso subconsciente diz que a sexualidade depende do que nosso corpo parece. Você deve ser nova(o), magra(o), ter seios rosados ​​ou um pênis grande, caso contrário, você não pode ser uma boa/bom amante. E, ironicamente, isso deflagra um enorme problema de auto-estima em todo mundo, particularmente naqueles que não vêem a si mesmos como jovens, saudáveis ​​e alegres. E para os que atendem a estes aspectos, muitas vezes não vêem a si mesmos como alegres ou bonitos o suficiente. Em última análise, ninguém se senti feliz consigo mesmo.

2) todo sucesso é sobre proporcionar prazer ao outro

Pornografia está concentrada em agradar o outro. Agora, obviamente, existe bem no fundo uma parte de nós que sabe que o desejo de agradar o nosso parceiro(a) é realmente uma coisa maravilhosa. Mas esta não é geralmente a forma como aparece na pornografia. Ela surge como a única coisa que é importante. Levar a outra pessoa ao orgasmo passa a ser é o único objetivo. E o que há de errado nesta questão? Bem, é a mensagem que nosso inconsciente recebe de que este é o único objetivo num ato sexual. Então, se você não pode levar o seu parceiro(a) ao orgasmo, não há porque fazer sexo. Acabamos por criar uma ansiedade no desempenho em dar e receber amor.

3) conexão e intimidade não são importantes

Pornografia não tem nada a ver com conexão. É simplesmente uma série de eventos físicos que duas pessoas fazem juntas. Não há conexão ou intimidade. E isso nem sempre é ruim, as vezes uma rodada de sexo meio ‘rock and roll’ e pornô, pode ser divertido, mas novamente, a ênfase neste aspecto, envia uma mensagem para a programação do nosso subconsciente de que é isso que é o sexo. Que a conexão não importa e que se trata apenas de desabafar e aliviar tensões.

4) de que isto é tudo que somos capazes de

A pior parte é que a pornografia faz-nos acreditar que isso é tudo que existe. Nós pensamos que sabemos tudo sobre o que é o sexo e que a pornografia nos lança para o que é mais excitante. Mas isso não é verdade.

A verdade é que nós, como seres humanos, estamos usando talvez, apenas 5% de nossas habilidades sexuais. É como ter um piano onde pensamos que existam apenas 10 teclas. Então, ficamos entretidos em compor músicas de uma ou duas notas. Mas, a verdade é que existem 88 teclas e poderíamos realmente criar e orquestrar uma extasiante sinfonia.  Mas, simplesmente não sabemos disso.

Pornografia aprofunda a crença de que músicas de uma nota só é tudo que conhecemos. Por isso, compor e ouvir canções irritantes é ainda tudo que nos interessa. Assim, estamos perdendo o melhor da festa. 

Então, como é que o Tantra pode mudar tudo isso?

Ele nos mostra as outras 78 teclas do piano e, em seguida, nos ensina a tocar.

1) Nós somos muito mais do que nossos corpos físicos

A parte mais sexy de nós não é a nossa fisionomia. Uma pessoa verdadeiramente sensual tem uma presença vibracional que é cativante e apaixonante. Podem olhar para você e gentilmente toca-lo de uma forma a deixá-lo profundamente encantado. Eles vão conduzi-lo através do silêncio interior, onde respirar e tocar um ao outro proporcionam calafrios e orgasmos ao longo de seus corpos. O que seu corpo experimentava até então, vai parecer bastante irrelevante.

2) prazer é maior quando é mútuo

Nós somos seres energéticos, bem como físicos. Quando estamos tocando nosso(a) parceiro(a), se estamos realmente presentes e desfrutando da sensação da pele do(a) nosso(a) parceiro(a), eles(as) vão sentir isso. Seu toque será diferente do que se você estivesse apenas fazendo isso para agrada-los(las). Quando você está realmente no momento, há uma eletricidade que vem alem do toque dos dedos (ou de outras pates sensuais) que permeia todo o corpo de seu parceiro(a). Enquanto o corpo de seu/sua parceiro(a) responde a isso, estes ciclos de prazer retornam a você, e os papeis do doador e do receptor começam a tornar-se misturados. Passa a existir apenas prazer sendo compartilhado, independentemente de quem está fazendo o quê.

3) tudo é conexão 

Somos desenhados para nos conectar uns com os outros em um nível muito profundo. Os seres humanos não se sentem bem sem sentir uma profunda conexão. Nós chamamos isso de “carência” e de “estar em desespero” quando alguém está se sentindo desconectado. Mas, é porque no fundo, sabemos verdadeiramente que somos capazes de uma conexão fenomenal. E quando nos sentimos nessa profunda conexão, coisas em nossas vidas, fluem bem melhor. A depressão diminui. Nós não nos sentimos tão ansiosos. Percebemos melhor as alegrias da vida. Agradecemos ao outro. Sentimos um nível de contentamento e felicidade que simplesmente não experimentamos quando estamos todos sozinhos.

No tantra, esta ligação vem em primeiro lugar. Este é o fundamento de todo o jogo sexual. É como se você primeiro tivesse que “plugar” um ao outro antes que a energia possa fluir. E assim, há uma intenção real em soltar nossas proteções e permitir cada um internamente conectar e experimentar realmente o outro.

4) O sexo está destinado a ser uma experiência Multi-Dimensional

Quando reunimos tudo o que realmente somos em nossas experiências íntimas, passamos de relações sexuais simplesmente físicas para uma experiência que envolve nossas mentes, emoções, sentimentos, intuição, paixão, presença, além de várias dimensões que você não pode nem mesmo explicar, elas simplesmente acontecem.

E a coisa mais interessante é que não se precisa de nenhum truque. Não há necessidade de métodos ou habilidades sexuais extravagantes. É, na verdade, algo incrivelmente natural e programado em nós, só não estamos conscientes para acessar.

Então, o Tantra vai livrar o mundo da pornografia?

Eu acho que não. Nós amamos o sexo. Nosso desejo sexual nos faz sentir vivos. E sinceramente, assistir outras pessoas fazendo sexo pode ser muito excitante.

Tantra cura as nossas relações reais com pessoas reais. Aprender como ser realmente íntimo com os outros, nos permite ter relações satisfatórias com as pessoas ao nosso redor. Nós sentimos ligações mais profundas e as nossas experiências íntimas realmente nos curam e nos fazem sentir maior conexão com nós mesmos!

Então, a pornografia não vai acabar, mas para muitos, o vício pode desaparecer, porque uma vez que você passa a experimentar o lado oposto, o seu verdadeiro potencial, uma verdadeira intimidade e as experiências sexuais que estamos destinados a ter, a pornografia tende a não mais te possuir. Ela simplesmente não se aproximará em comparação ao que se experimenta com o Tantra.

Quer dizer, uma vez que você dirigiu uma Ferrari, não poderá mais comparar com dirigir ou empurrar um carrinho de criança.

Autora: Katrina Bos – collective-evolution.com

Edição e tradução livre: Shakyamuni

Por: shakyamuni

2 Comentários

Deixe um comentário