Revista eletrônica de divulgação holística. Artigos, crônicas e parábolas de abordagens científicas e espirituais. Um portal de acesso para o autoconhecimento, a meditação e a consciência de viver com plenitude no aqui e no agora.
O TERREMOTO DA ROSA 2012-11-16-the-earthquake-rose - Quando um terremoto de magnitude 6,8 sacudiu Olympia, Washington, em 2001, o lojista Jason Ward descobriu que um pêndulo traçado na areia, havia gravado as vibrações da imagem ao lado. Os sismólogos dizem que a “flor” no centro reflete as ondas de alta freqüência que chegaram primeiro, e no exterior, de maior amplitude as oscilações […] Full view

Quando um terremoto de magnitude 6,8 sacudiu Olympia, Washington, em 2001, o lojista Jason Ward descobriu que um pêndulo traçado na areia, havia gravado as vibrações da imagem ao lado. Os sismólogos dizem que a "flor" no centro reflete as ondas de alta freqüência que chegaram primeiro, e no exterior, de maior amplitude as oscilações gravaram as ondas de freqüência mais baixa, que chegaram mais tarde. "Você nunca pensa sobre um terremoto como sendo artístico - é violento e destrutivo", Norman MacLeod, presidente da Lobo Consultoria em Port Townsend, disse à ABC News. "Mas no meio de todo esse caos foi criada esta obra, bem delicada."

 

O TERREMOTO DA ROSA

Quando um terremoto de magnitude 6,8 sacudiu Olympia, Washington, em 2001, o lojista Jason Ward descobriu que um pêndulo traçado na areia, havia gravado as vibrações da imagem ao lado.

Os sismólogos dizem que a “flor” no centro reflete as ondas de alta freqüência que chegaram primeiro, e no exterior, de maior amplitude as oscilações gravaram as ondas de freqüência mais baixa, que chegaram mais tarde.

“Você nunca pensa sobre um terremoto como sendo artístico – é violento e destrutivo”, Norman MacLeod, presidente da Lobo Consultoria em Port Townsend, disse à ABC News. “Mas no meio de todo esse caos foi criada esta obra, bem delicada.”

 

Por: shakyamuni

Posts Relacionados

Deixe um comentário