Revista eletrônica de divulgação holística. Artigos, crônicas e parábolas de abordagens científicas e espirituais. Um portal de acesso para o autoconhecimento, a meditação e a consciência de viver com plenitude no aqui e no agora.
INSANIDADE, ORGASMO E MORTE – OS TRÊS MEDOS PRINCIPAIS fear - Osho respondeu à seguinte pergunta de um terapeuta: “Quando trabalho com pessoas em terapias intensas, elas continuamente expressam três medos: O medo de enlouquecer, o medo de deixar-se levar pelo orgasmo sexual e o medo de morrer. Você pode por favor comentar isto?” Insanidade É realmente uma questão muito significativa e existencial. Nestes três medos a […] Full view

Osho respondeu à seguinte pergunta de um terapeuta: "Quando trabalho com pessoas em terapias intensas, elas continuamente expressam três medos: O medo de enlouquecer, o medo de deixar-se levar pelo orgasmo sexual e o medo de morrer. Você pode por favor comentar isto?" Insanidade É realmente uma questão muito significativa e existencial. Nestes três medos a humanidade tem vivido por milhares de anos. Eles não são pessoais, são coletivos. Eles vêm do inconsciente coletivo. O medo de enlouquecer está em todos, porque a inteligência das pessoas não foi estimulada a desenvolver-se. Inteligência é algo perigoso aos olhos dos interesses estabelecidos. Então, por muitos milhares de anos, as raízes da inteligência foram cortadas. O ser humano teve que fazer-se sem raízes, de maneira a tornar-se dependente da imagem que o sustenta: dependente socialmente, culturalmente, da religião, do estado, dos parentes, de todo mundo. Ele tem que depender. Ele, por si mesmo, não tem raízes. Então, no momento em que se torna cosnciente, ele percebe que não tem raízes e sente que vai enlouquecer. Está perdendo suporte. Está caindo num fosso escuro, porque seu conhecimento foi tomado emprestado, não é próprio dele. Em terapia profunda, a pessoa vai atravessar esse ponto, e tem que encarar isso, permitir isso. É importante que ela enlouqueça. Uma vez louca, vai abandonar o medo. Agora ela sabe o que a loucura é. O medo é sempre do desconhecido. E aí vai se acalmar, vai sair do medo com uma liberdade imensa, com muita força e integridade. Orgasmo O segundo medo é do orgasmo sexual. Isto, também, é criado pelas religiões. Todas religiões sobrevivem porque voltaram o homem contra sua própria energia. Sexo é a energia total do homem, sua energia de vida. E os profetas religiosos e messias, mensageiros de Deus, estão todos fazendo o mesmo trabalho. Em palavras diferentes, linguagens diferentes, mas o trabalho é um só: fazer o homem inimigo de si mesmo. E a estratégia básica é a de que - pelo fato de ser a energia mais poderosa em você -o sexo deve ser condenado. Uma culpa deve ser criada, e então nasce um problema paraa o indivíduo. Sua natureza é sensual, sexual, mas sua mente é cheia de lixo contra isto. Isto gera sofrimento, e aí as pessoas buscam um consolo. Querem uma esperança, pelo menos depois da morte. Na vida, elas sabem qua não há esperança; está tudo terminado. E isto cria a chance para as religiões mostrarem para ambos, homens e mulheres, que sexo é absolutamente fútil. Um ser humano que não conhece o orgasmo não se sente preenchido, sente-se frustrado, zangado, porque nunca alcançou um estado que a natureza provê livremente, onde pode relaxar por completo e tornar-se um com a existência, ao menos por poucos instantes. Por causa do medo, não pode administrar o orgasmo. Morte E o terceiro medo que você fala é o da morte. O primeiro é de ser só. Muito do medo de morrer será destruído pela primeira experiência de ser só e não ter medo de enlouquecer. E aí o medo da morte será imediatamente destruido pela experiência do orgasmo. Porque no orgasmo a pessoa desaparece. O ego não está mais lá...Há uma experiência, mas o experimentador não está mais lá. Então estes dos primeiros passos vão ajudar a solucionar o terceiro, muito facilmente. O medo da morte será o mais simples dos três. E com cada passo você tem que ir aprofundando sua meditação. Nenhuma terapia sem meditação poderá ajudar muito. É superficial, tocando aqui e ali, e logo o indivíduo será o mesmo. Uma transformação real nunca aconteceu sem meditação. Se você medita profundamente e atinge seu centro mais interno, repentinamente descobre uma corrente de vida eterna. Já existiram muitos corpos e formas para seu ser, mas você é sempre o mesmo. Contudo, isto não tem que ser uma crença, é preciso que seja feita a experiência.

INSANIDADE, ORGASMO E MORTE – OS TRÊS MEDOS PRINCIPAIS

Osho respondeu à seguinte pergunta de um terapeuta: “Quando trabalho com pessoas em terapias intensas, elas continuamente expressam três medos: O medo de enlouquecer, o medo de deixar-se levar pelo orgasmo sexual e o medo de morrer. Você pode por favor comentar isto?”

Insanidade

É realmente uma questão muito significativa e existencial. Nestes três medos a humanidade tem vivido por milhares de anos. Eles não são pessoais, são coletivos. Eles vêm do inconsciente coletivo.

O medo de enlouquecer está em todos, porque a inteligência das pessoas não foi estimulada a desenvolver-se. Inteligência é algo perigoso aos olhos dos interesses estabelecidos. Então, por muitos milhares de anos, as raízes da inteligência foram cortadas. O ser humano teve que fazer-se sem raízes, de maneira a tornar-se dependente da imagem que o sustenta: dependente socialmente, culturalmente, da religião, do estado, dos parentes, de todo mundo. Ele tem que depender. Ele, por si mesmo, não tem raízes.

Então, no momento em que se torna cosnciente, ele percebe que não tem raízes e sente que vai enlouquecer. Está perdendo suporte. Está caindo num fosso escuro, porque seu conhecimento foi tomado emprestado, não é próprio dele. Em terapia profunda, a pessoa vai atravessar esse ponto, e tem que encarar isso, permitir isso. É importante que ela enlouqueça. Uma vez louca, vai abandonar o medo. Agora ela sabe o que a loucura é. O medo é sempre do desconhecido. E aí vai se acalmar, vai sair do medo com uma liberdade imensa, com muita força e integridade.

Orgasmo

O segundo medo é do orgasmo sexual. Isto, também, é criado pelas religiões. Todas religiões sobrevivem porque voltaram o homem contra sua própria energia. Sexo é a energia total do homem, sua energia de vida. E os profetas religiosos e messias, mensageiros de Deus, estão todos fazendo o mesmo trabalho. Em palavras diferentes, linguagens diferentes, mas o trabalho é um só: fazer o homem inimigo de si mesmo. E a estratégia básica é a de que – pelo fato de ser a energia mais poderosa em você -o sexo deve ser condenado.

Uma culpa deve ser criada, e então nasce um problema paraa o indivíduo. Sua natureza é sensual, sexual, mas sua mente é cheia de lixo contra isto. Isto gera sofrimento, e aí as pessoas buscam um consolo. Querem uma esperança, pelo menos depois da morte. Na vida, elas sabem qua não há esperança; está tudo terminado. E isto cria a chance para as religiões mostrarem para ambos, homens e mulheres, que sexo é absolutamente fútil.

Um ser humano que não conhece o orgasmo não se sente preenchido, sente-se frustrado, zangado, porque nunca alcançou um estado que a natureza provê livremente, onde pode relaxar por completo e tornar-se um com a existência, ao menos por poucos instantes. Por causa do medo, não pode administrar o orgasmo.

Morte

E o terceiro medo que você fala é o da morte. O primeiro é de ser só. Muito do medo de morrer será destruído pela primeira experiência de ser só e não ter medo de enlouquecer. E aí o medo da morte será imediatamente destruido pela experiência do orgasmo. Porque no orgasmo a pessoa desaparece. O ego não está mais lá…Há uma experiência, mas o experimentador não está mais lá.

Então estes dos primeiros passos vão ajudar a solucionar o terceiro, muito facilmente. O medo da morte será o mais simples dos três. E com cada passo você tem que ir aprofundando sua meditação. Nenhuma terapia sem meditação poderá ajudar muito. É superficial, tocando aqui e ali, e logo o indivíduo será o mesmo. Uma transformação real nunca aconteceu sem meditação.

Se você medita profundamente e atinge seu centro mais interno, repentinamente descobre uma corrente de vida eterna. Já existiram muitos corpos e formas para seu ser, mas você é sempre o mesmo. Contudo, isto não tem que ser uma crença, é preciso que seja feita a experiência.

Por: shakyamuni

Posts Relacionados

Deixe um comentário