Revista eletrônica de divulgação holística. Artigos, crônicas e parábolas de abordagens científicas e espirituais. Um portal de acesso para o autoconhecimento, a meditação e a consciência de viver com plenitude no aqui e no agora.
FORMAÇÃO EM MASSAGEM TERAPÊUTICA COM JAGANU – PROGRAMA COMPLETO 60e35527411c4bb1afd2d9524e62ddab - Módulo I Leitura Corporal Baseado Nas Cadeias Musculares GDS e nas Tipologias Reichianas. Cadeias Musculares GDS : Godelieve Dennys-Struyf  é o nome da criadora do método GDS de Cadeias Musculares, fisioterapeuta, criou o método entre 1960 e 1970. Ela estabeleceu uma conexão entre problemas posturais mais comuns e a ativação de determinados grupos de músculos e articulações. Após observar milhares de […] Full view

Módulo I

Leitura Corporal Baseado Nas Cadeias Musculares GDS e nas Tipologias Reichianas.

Cadeias Musculares GDS :

Godelieve Dennys-Struyf  é o nome da criadora do método GDS de Cadeias Musculares, fisioterapeuta, criou o método entre 1960 e 1970. Ela estabeleceu uma conexão entre problemas posturais mais comuns e a ativação de determinados grupos de músculos e articulações. Após observar milhares de pacientes e elaborar um trabalho estatístico, ela descreveu seis tipologias, batizadas por siglas que resumem as cadeias musculares mais ativadas em cada caso.

O corpo saudável é aquele que se adapta às diferentes situações com eficiência, de modo que nenhum grupo muscular fique sobrecarregado ou sem estímulo. Godelieve Dennys-Struyf  

O Método considera seis formas primárias de expressão corporal ligadas aos grupos musculares que as produzem. São quatro formas principais e duas secundárias.

 

CADEIA POSTERIOR MEDIANA (PM)

O corpo está em desequilíbrio para a frente, a cadeia muscular posterior tem um papel primordial na manutenção da verticalidade, freando a queda do corpo para frente, mantendo assim, em equilíbrio. São grupos musculares principalmente posteriores e medianos, daí a abreviação PM. O corpo precipita-se para a frente, ao fazê-lo está respondendo a certas respostas comportamentais. Como decisão, atitude, ir buscar, impulso.

 

 

CADEIA ANTERO MEDIANA (AM)

O tronco está em perda de equilíbrio para trás, a atividade de grupos musculares anteriores garantem o equilíbrio e está associada à afetividade, ao sensorial, à necessidade de ser amado... São principalmente os músculos anteriores e medianos do tronco, por isso a abreviatura AM. O corpo parece querer recuar ou apoiar-se contra uma parede, ou sentar-se. Tem ligação com afetuosidade, acolhimento, posição fetal e necessidade de toque. Tem um papel fundamental na construção do ego e da consciência corporal.

 

CADEIAS POSTERO ANTERIOR e  ANTERO POSTERIOR (PA AP)

Nessa cadeia não há desequilíbrio, nem para frente nem para trás. PA-AP está no centro. Ocorre uma impulsão para cima em PA que tem maior facilidade na inspiração, uma impulsão para baixo em AP que demonstra melhor sensação na expiração, ou pode ocorrer uma associação entre as duas que denomina-se PA-AP. As três atitudes são subtensionadas muscularmente por uma mesma motivação: a necessidade de ser, da construção da individualidade e da busca do ideal em todos os níveis. Dois encadeamentos musculoaponevróticos subtensionam gerando essas três atitudes que, no seu funcionamento fisiológico, devem alternar suas respectivas atividades para manter o ritmo respiratório, manter o equilíbrio das massas, o eixo vertical e o centro de gravidade. As cadeias posteroanteriores PA entram em atividade na fase inspiratória e as cadeias anteroposteriores AP, na expiratória. Quando essas duas cadeias perdem a sua alternância fisiológica, é gerada a atitude PA-AP.

 

CADEIA POSTERO LATERAL (PL)

Corpo com base de sustentação larga, os grupos musculares agem principalmente na altura dos quadris e dos ombros. São, sobretudo, músculos abdutores e rotadores externos, cuja localização é posterior e lateral nos quadris e nos ombros (PL). As escolhas comportamentais ligadas a essa expansão lateral e a essa abertura anterior do corpo são as de uma pessoa extrovertida, caracterizada pela necessidade de estabelecer comunicação e voltada para a relação com o exterior, com pouca concentração. Essas cadeias favorecem a abdução e a rotação externa das raízes dos membros, gerando uma atitude arqueada e desdobrada.

 

CADEIA ANTERO LATERAL (AL)

O Corpo possui base de sustentação estreita, os grupos musculares estão essencialmente ativos nos quadris e nos ombros. São músculos adutores e rotadores internos localizados anterior e lateralmente na altura dos quadris e dos ombros. As escolhas comportamentais associados a esse estreitamento lateral do corpo e seu fechamento anterior, são os de uma pessoa introvertida, focada, reservada e cautelosa nas suas relações com exterior. Essas cadeias favorecem a adução, a flexão e a rotação interna da raiz dos membros, gerando uma atitude de recolhimento e podendo, no excesso, chegar a achatar o corpo no próprio eixo.

Tipologias Reichianas:

Considerado pai das psicoterapias corporais Wilhelm Reich (1897 – 1957), foi médico-psicanalista que aventurou-se na compreensão da sexualidade e psicogêneses das neuroses. Reich se deparou com as dificuldades de muitos pacientes em obter a “cura” através dos métodos tradicionais de análise”. Concluiu então, que se tratavam de resistências provindas do caráter de cada paciente, às quais eram expressas não somente em termos de conteúdo, mas também de forma, através do comportamento típico de cada um, o modo de falar, andar, gesticular, etc. Dessa forma o trabalho analítico se tornava mais completo quando o caráter do paciente era analisado como um todo e não apenas a análise do sintoma isolado. Assim nasce a técnica de análise do caráter.

O caráter de uma pessoa se forma com base nos bloqueios sofridos nas etapas do desenvolvimento psico-emocional. Desde o momento da fecundação, o bebê atravessa algumas etapas em seu desenvolvimento que serão decisivas para a formação do seu caráter. Um estresse sofrido e uma ou mais etapas irá determinar o tipo ou traço de caráter e consequentemente a forma de funcionar dessa pessoa perante a vida.

ESQUIZOIDE:

Cisão no funcionamento da personalidade; Pensamento dissociado do sentimento; Tendência a evitar relacionamentos íntimos; Perda de contato da realidade; Energia retida longe da periferia do corpo (mãos, pés, rosto e genitais) que fazem contato com o meio externo – a energia não pode fluir adequadamente do centro do corpo para as extremidades, sendo bloqueadas por tensões situadas na base da cabeça, ombros, pelve e articulação dos quadris; Carga energética fraca, mas de matriz explosiva – cisão do corpo na altura da cintura, o que leva a uma não integração entre a metade superior e a inferior do corpo.

 

ORAL:

Apresenta traços típicos da primeira infância: fraqueza, tendência à dependência, agressividade precária, sensação de incapacidade de cuidar-se; Em alguns casos, autonomia e independência excessivas podem servir como mecanismos; Carência afetiva – o discurso predominante é o da falta. Baixa carga energética; energia flui a periferia do corpo de modo precário; falta de energia e tônus na parte inferior do corpo; nível reduzido de excitação sexual.

 

 

PSICOPATA:

O cerne da atitude caracterológica é a negação de sentimentos, diferindo do esquizoide, que o O ego (ou mente) volta-se contra o corpo e seus sentimentos, principalmente os de natureza. Grande acúmulo de energia na própria imagem; Necessidade de poder e controle; Necessidade de obter domínio sobre os outros. (Em relação a esse aspecto, a estrutura psicopata pode ser de dois tipos: tirânico ou sedutor.) No tipo tirânico há um deslocamento de energia em direção a extremidade cefálica do corpo, bem como consequente redução energética na parte inferior. Isso faz com que as duas metades do corpo sejam desproporcionais; a superior é mais larga; forte bloqueio muscular na altura do diafragma e da cintura, que impede que o fluxo energético e os sentimentos desçam. Excessiva carga energética na cabeça, denotando capacidade de excitabilidade mental (uma evidência desse padrão é o fato de tais indivíduos estarem sempre com a cabeça erguida, vigilantes.); olhos desconfiados e atentos.

MASOQUISTA:

Sofrimento e lamúrias constantes; Atitude de submissão e passividade externa, contrastando com grande teimosia e rebeldia. Discurso de vítima das circunstâncias; Sentimentos de inveja, negatividade, hostilidade e superioridade; Medo de explodir, de dar vazão aos seus sentimentos negativos. Órgãos periféricos pouco carregados devido a contenção interna; dificuldade de descarga energético-emocional; expressão afetiva limitada; impulsos estrangulados na altura do pescoço e da cintura, o que leva a esses indivíduos a experimentarem grande ansiedade; encurtamento do corpo em virtude da extrema repressão afetiva.

 

RÍGIDO:

Cabeça ereta e coluna reta denotando altivez; Está sempre alerta contra situações em que possam aproveitar-se dele; Defende-se assumindo a contenção de seus impulsos de abertura rumo ao mundo externo; Utiliza a ênfase na realidade como defesa no impulso de ceder (prazer, descarga); Carga energética poderosa nas extremidades de contato com o exterior; contenção periférica, permitindo relativo fluir dos sentimentos, mas como limitada manifestação; ao lado da espasticidade dos músculos extensores e dos flexores há grande tensão nos músculos longo do corpo.

E são nessas fixações que as tipologias GDS e Rechianas se encontram, se confrontam e se apoiam na análise corporal e comportamental.

 

Módulos II, iii, iv e v

Aprendizado prático e teórico e o passo a passo de cada momento da massagem.

O jeito de se colocar, o tipo de pressão, para cada tipologia ou problema, quantidade de óleo e creme a ser utilizado e como organizar o paciente na cama de massagem.

 

Escovação,

Técnica utilizada para ativar, aquecer, eliminar células mortas e começar a diminuir o cansaço de músculos e ligamentos.

 

Manobra do tecido conjuntivo

Nesse momento nos preparamos para abrir espaço e estabelecer o contato inicial com músculos e ligamentos, continuar o aquecimento que se iniciou com a escovação e favorecer a inspiração profunda.

 

Técnicas de reestruturação corporal

Expressão por meio do movimento, orientação alimentar e respiração e meditação, prepara o massagista físico e emocionalmente, pois para se dar uma boa massagem o massagista precisa estar energético vital e centrado, requisitos fundamentais ao se lidar com dores e questões emocionais que eventualmente o cliente pode trazer.

 

Noções de anatomia aplicadas as técnicas

A cada parte da massagem será importante para o massagista conhecer anatomicamente membros, músculos e ligamentos com os quais ele estará trabalhando, assim pode-se tratar com mais cuidado e eficiência.

 

Organização e manutenção do local de trabalho

Preparação da sala de atendimento, material necessário, higiene e utilização de escovas, óleos e cremes, nessa etapa final para aquele que vai trabalhar profissionalmente a organização a preparação do local de trabalho e o material que se vai utilizar, ira determinar a qualidade do atendimento e o resultado do mesmo.

 

Orientação alimentar

 

Respiração e Meditação

A Formação Básica acontecerá em cinco módulos de fins de semana, sextas à noite, sábados e domingos durante todo o dia e em regime residencial: 17 à 19 de maio / 31 de maio à 2 de junho / 14 à 16 de junho / 19 à 21 e 26 à 28 de julho.

 

O TERAPEUTA: Jaganu – Luiz Guilherme Pena

Formado na Escola de Teatro Martins Pena (RJ). Formado em Cadeias Musculares – Método GDS, Biomecânica e Biometria pelos Centros GDS de SP, França e Bélgica.
Formações em Massagem Ayurvédica, Terapia da Respiração, Pulsation e Massagem Neuro Muscular.
Há mais de 20 anos trabalha como Terapeuta Corporal em sessões individuais e cursos regulares.

 

Informações com gYan yashoda: (61) 98130 9173 WhatsApp

 

FORMAÇÃO EM MASSAGEM TERAPÊUTICA COM JAGANU – PROGRAMA COMPLETO

Módulo I

Leitura Corporal Baseado Nas Cadeias Musculares GDS e nas Tipologias Reichianas.

Cadeias Musculares GDS :

Godelieve Dennys-Struyf  é o nome da criadora do método GDS de Cadeias Musculares, fisioterapeuta, criou o método entre 1960 e 1970. Ela estabeleceu uma conexão entre problemas posturais mais comuns e a ativação de determinados grupos de músculos e articulações. Após observar milhares de pacientes e elaborar um trabalho estatístico, ela descreveu seis tipologias, batizadas por siglas que resumem as cadeias musculares mais ativadas em cada caso.

O corpo saudável é aquele que se adapta às diferentes situações com eficiência, de modo que nenhum grupo muscular fique sobrecarregado ou sem estímulo. Godelieve Dennys-Struyf  

O Método considera seis formas primárias de expressão corporal ligadas aos grupos musculares que as produzem. São quatro formas principais e duas secundárias.

 

CADEIA POSTERIOR MEDIANA (PM)

O corpo está em desequilíbrio para a frente, a cadeia muscular posterior tem um papel primordial na manutenção da verticalidade, freando a queda do corpo para frente, mantendo assim, em equilíbrio. São grupos musculares principalmente posteriores e medianos, daí a abreviação PM. O corpo precipita-se para a frente, ao fazê-lo está respondendo a certas respostas comportamentais. Como decisão, atitude, ir buscar, impulso.

 

 

CADEIA ANTERO MEDIANA (AM)

O tronco está em perda de equilíbrio para trás, a atividade de grupos musculares anteriores garantem o equilíbrio e está associada à afetividade, ao sensorial, à necessidade de ser amado… São principalmente os músculos anteriores e medianos do tronco, por isso a abreviatura AM. O corpo parece querer recuar ou apoiar-se contra uma parede, ou sentar-se. Tem ligação com afetuosidade, acolhimento, posição fetal e necessidade de toque. Tem um papel fundamental na construção do ego e da consciência corporal.

 

CADEIAS POSTERO ANTERIOR e  ANTERO POSTERIOR (PA AP)

Nessa cadeia não há desequilíbrio, nem para frente nem para trás. PA-AP está no centro. Ocorre uma impulsão para cima em PA que tem maior facilidade na inspiração, uma impulsão para baixo em AP que demonstra melhor sensação na expiração, ou pode ocorrer uma associação entre as duas que denomina-se PA-AP. As três atitudes são subtensionadas muscularmente por uma mesma motivação: a necessidade de ser, da construção da individualidade e da busca do ideal em todos os níveis. Dois encadeamentos musculoaponevróticos subtensionam gerando essas três atitudes que, no seu funcionamento fisiológico, devem alternar suas respectivas atividades para manter o ritmo respiratório, manter o equilíbrio das massas, o eixo vertical e o centro de gravidade. As cadeias posteroanteriores PA entram em atividade na fase inspiratória e as cadeias anteroposteriores AP, na expiratória. Quando essas duas cadeias perdem a sua alternância fisiológica, é gerada a atitude PA-AP.

 

CADEIA POSTERO LATERAL (PL)

Corpo com base de sustentação larga, os grupos musculares agem principalmente na altura dos quadris e dos ombros. São, sobretudo, músculos abdutores e rotadores externos, cuja localização é posterior e lateral nos quadris e nos ombros (PL). As escolhas comportamentais ligadas a essa expansão lateral e a essa abertura anterior do corpo são as de uma pessoa extrovertida, caracterizada pela necessidade de estabelecer comunicação e voltada para a relação com o exterior, com pouca concentração. Essas cadeias favorecem a abdução e a rotação externa das raízes dos membros, gerando uma atitude arqueada e desdobrada.

 

CADEIA ANTERO LATERAL (AL)

O Corpo possui base de sustentação estreita, os grupos musculares estão essencialmente ativos nos quadris e nos ombros. São músculos adutores e rotadores internos localizados anterior e lateralmente na altura dos quadris e dos ombros. As escolhas comportamentais associados a esse estreitamento lateral do corpo e seu fechamento anterior, são os de uma pessoa introvertida, focada, reservada e cautelosa nas suas relações com exterior. Essas cadeias favorecem a adução, a flexão e a rotação interna da raiz dos membros, gerando uma atitude de recolhimento e podendo, no excesso, chegar a achatar o corpo no próprio eixo.

Tipologias Reichianas:

Considerado pai das psicoterapias corporais Wilhelm Reich (1897 – 1957), foi médico-psicanalista que aventurou-se na compreensão da sexualidade e psicogêneses das neuroses. Reich se deparou com as dificuldades de muitos pacientes em obter a “cura” através dos métodos tradicionais de análise”. Concluiu então, que se tratavam de resistências provindas do caráter de cada paciente, às quais eram expressas não somente em termos de conteúdo, mas também de forma, através do comportamento típico de cada um, o modo de falar, andar, gesticular, etc. Dessa forma o trabalho analítico se tornava mais completo quando o caráter do paciente era analisado como um todo e não apenas a análise do sintoma isolado. Assim nasce a técnica de análise do caráter.

O caráter de uma pessoa se forma com base nos bloqueios sofridos nas etapas do desenvolvimento psico-emocional. Desde o momento da fecundação, o bebê atravessa algumas etapas em seu desenvolvimento que serão decisivas para a formação do seu caráter. Um estresse sofrido e uma ou mais etapas irá determinar o tipo ou traço de caráter e consequentemente a forma de funcionar dessa pessoa perante a vida.

ESQUIZOIDE:

Cisão no funcionamento da personalidade; Pensamento dissociado do sentimento; Tendência a evitar relacionamentos íntimos; Perda de contato da realidade; Energia retida longe da periferia do corpo (mãos, pés, rosto e genitais) que fazem contato com o meio externo – a energia não pode fluir adequadamente do centro do corpo para as extremidades, sendo bloqueadas por tensões situadas na base da cabeça, ombros, pelve e articulação dos quadris; Carga energética fraca, mas de matriz explosiva – cisão do corpo na altura da cintura, o que leva a uma não integração entre a metade superior e a inferior do corpo.

 

ORAL:

Apresenta traços típicos da primeira infância: fraqueza, tendência à dependência, agressividade precária, sensação de incapacidade de cuidar-se; Em alguns casos, autonomia e independência excessivas podem servir como mecanismos; Carência afetiva – o discurso predominante é o da falta. Baixa carga energética; energia flui a periferia do corpo de modo precário; falta de energia e tônus na parte inferior do corpo; nível reduzido de excitação sexual.

 

 

PSICOPATA:

O cerne da atitude caracterológica é a negação de sentimentos, diferindo do esquizoide, que o O ego (ou mente) volta-se contra o corpo e seus sentimentos, principalmente os de natureza. Grande acúmulo de energia na própria imagem; Necessidade de poder e controle; Necessidade de obter domínio sobre os outros. (Em relação a esse aspecto, a estrutura psicopata pode ser de dois tipos: tirânico ou sedutor.) No tipo tirânico há um deslocamento de energia em direção a extremidade cefálica do corpo, bem como consequente redução energética na parte inferior. Isso faz com que as duas metades do corpo sejam desproporcionais; a superior é mais larga; forte bloqueio muscular na altura do diafragma e da cintura, que impede que o fluxo energético e os sentimentos desçam. Excessiva carga energética na cabeça, denotando capacidade de excitabilidade mental (uma evidência desse padrão é o fato de tais indivíduos estarem sempre com a cabeça erguida, vigilantes.); olhos desconfiados e atentos.

MASOQUISTA:

Sofrimento e lamúrias constantes; Atitude de submissão e passividade externa, contrastando com grande teimosia e rebeldia. Discurso de vítima das circunstâncias; Sentimentos de inveja, negatividade, hostilidade e superioridade; Medo de explodir, de dar vazão aos seus sentimentos negativos. Órgãos periféricos pouco carregados devido a contenção interna; dificuldade de descarga energético-emocional; expressão afetiva limitada; impulsos estrangulados na altura do pescoço e da cintura, o que leva a esses indivíduos a experimentarem grande ansiedade; encurtamento do corpo em virtude da extrema repressão afetiva.

 

RÍGIDO:

Cabeça ereta e coluna reta denotando altivez; Está sempre alerta contra situações em que possam aproveitar-se dele; Defende-se assumindo a contenção de seus impulsos de abertura rumo ao mundo externo; Utiliza a ênfase na realidade como defesa no impulso de ceder (prazer, descarga); Carga energética poderosa nas extremidades de contato com o exterior; contenção periférica, permitindo relativo fluir dos sentimentos, mas como limitada manifestação; ao lado da espasticidade dos músculos extensores e dos flexores há grande tensão nos músculos longo do corpo.

E são nessas fixações que as tipologias GDS e Rechianas se encontram, se confrontam e se apoiam na análise corporal e comportamental.

 

Módulos II, iii, iv e v

Aprendizado prático e teórico e o passo a passo de cada momento da massagem.

O jeito de se colocar, o tipo de pressão, para cada tipologia ou problema, quantidade de óleo e creme a ser utilizado e como organizar o paciente na cama de massagem.

 

Escovação,

Técnica utilizada para ativar, aquecer, eliminar células mortas e começar a diminuir o cansaço de músculos e ligamentos.

 

Manobra do tecido conjuntivo

Nesse momento nos preparamos para abrir espaço e estabelecer o contato inicial com músculos e ligamentos, continuar o aquecimento que se iniciou com a escovação e favorecer a inspiração profunda.

 

Técnicas de reestruturação corporal

Expressão por meio do movimento, orientação alimentar e respiração e meditação, prepara o massagista físico e emocionalmente, pois para se dar uma boa massagem o massagista precisa estar energético vital e centrado, requisitos fundamentais ao se lidar com dores e questões emocionais que eventualmente o cliente pode trazer.

 

Noções de anatomia aplicadas as técnicas

A cada parte da massagem será importante para o massagista conhecer anatomicamente membros, músculos e ligamentos com os quais ele estará trabalhando, assim pode-se tratar com mais cuidado e eficiência.

 

Organização e manutenção do local de trabalho

Preparação da sala de atendimento, material necessário, higiene e utilização de escovas, óleos e cremes, nessa etapa final para aquele que vai trabalhar profissionalmente a organização a preparação do local de trabalho e o material que se vai utilizar, ira determinar a qualidade do atendimento e o resultado do mesmo.

 

Orientação alimentar

 

Respiração e Meditação

A Formação Básica acontecerá em cinco módulos de fins de semana, sextas à noite, sábados e domingos durante todo o dia e em regime residencial: 17 à 19 de maio / 31 de maio à 2 de junho / 14 à 16 de junho / 19 à 21 e 26 à 28 de julho.

 

O TERAPEUTA: Jaganu – Luiz Guilherme Pena

Formado na Escola de Teatro Martins Pena (RJ). Formado em Cadeias Musculares – Método GDS, Biomecânica e Biometria pelos Centros GDS de SP, França e Bélgica.
Formações em Massagem Ayurvédica, Terapia da Respiração, Pulsation e Massagem Neuro Muscular.
Há mais de 20 anos trabalha como Terapeuta Corporal em sessões individuais e cursos regulares.

 

Informações com gYan yashoda: (61) 98130 9173 WhatsApp

 

Por: shakyamuni

Deixe um comentário