Revista eletrônica de divulgação holística. Artigos, crônicas e parábolas de abordagens científicas e espirituais. Um portal de acesso para o autoconhecimento, a meditação e a consciência de viver com plenitude no aqui e no agora.
CAMINHADAS COMO MEDITAÇÃO E ORGANIZAÇÃO CORPORAL getty_rm_photo_of_women_walking_to_ease_fibromyalgia_pain (1) - Não pare e pense, ande e pense ! Caminhadas são uma forma de meditação em movimento que, com um mínimo de dedicação e estímulo, organizam todo nosso sistema corpo-mente. A mente, em seu condicionamento natural, está bastante ocupada e desejosa do futuro. Sempre a espera de que alguma nova condição poderá nos trazer felicidade e […] Full view

Não pare e pense, ande e pense ! Caminhadas são uma forma de meditação em movimento que, com um mínimo de dedicação e estímulo, organizam todo nosso sistema corpo-mente. A mente, em seu condicionamento natural, está bastante ocupada e desejosa do futuro. Sempre a espera de que alguma nova condição poderá nos trazer felicidade e mais saúde física e emocional, em algum tempo futuro, que como a própria lei da temporariedade revela, nunca chega ou nunca se acha que adquiriu o suficiente. Passado e futuro fazem parte do tempo, já o presente é atemporal, faz parte da sagrada condição de existir, e se existe algo existencial, isto se chama o agora.

São pequenas atitudes que quebram o padrão mental de agir sempre da mesma forma. Se já sabemos que caminhar regularmente é o mínimo que podemos fazer por nossa clareza mental e emocional, podemos criativamente desfazer certos condicionamentos. Se você vai sair pra caminhar e usa o elevador, como sempre faz, já comece sua caminhada pelas escadas. Se você acostumou a pegar o carro e ir até o parque caminhar, mude isto algumas vezes, explorando a região que você mora. É sempre possível descobrir novas rotas e atitudes que podem surpreender a mente. Caminhe as vezes ouvindo música, mas experimente também sair e ouvir a natureza ou mesmo os burburinhos dos adultos, crianças, cachorros... o arranjo sinfônico é produzido por seu estado interior. Quando algo de fora incomoda muito, é sinal que se precisa olhar pra dentro. Não fique também muito preso ao tempo que gosta e precisa caminhar. Deixe o relógio em casa e siga uma intuição e sensação das próprias pernas. Você saberá facilmente de alguma forma, por quanto tempo andou, já que estamos totalmente escravizados pelos horários do dia a dia.

Se existe uma palavra que pode sintetizar oque seja meditação, esta palavra é observação. Ao sair pra caminhar, comece por observar o fluxo constante dos pensamentos e toda conversa interna. Procure não ficar preso em uma única ideia de pensamentos ou planos que esteja tendo em relação a este momento da sua vida. Troque constantemente o foco da observação. Agora vamos incluir na observação dos pensamentos, os movimentos e ritmos das pernas. Passe a observar junto com a mente, a forma como cada passo segue no ritmo do pensamento. Se há ansiedade e excessiva preocupação com futuro, podemos até nem saber que temos pernas e assim colocarmos uma sobre a outra. Volte para a observação dos pensamentos e de como cada passo está sendo dado. Observe os pés, as pernas, o quadril, o peito e principalmente o pescoço junto a cabeça. Olhe pra frente e eduque a cabeça para estar integrada e no eixo com todo o corpo pra baixo. Se os pensamentos estão por demais no tempo futuro, o pescoço e a cabeça vão também ser projetados no espaço que indica este tempo: pra frente. Então, volte pro agora.

Já unimos na nossa caminhada, a observação dos pensamentos e dos movimentos corporais. Agora vamos incluir a estas duas observações, a respiração. Certamente, muitos de vocês já ouviram falar que a respiração é a chave de percepção e entendimento sobre a vida. Viemos ao mundo com uma primeira inspiração e nos despedimos dele com um último suspiro. E como existe algo de muito sagrado que nos protege de ficar focados no medo da última expiração, tudo está sempre disponível neste momento, repleto de vida a cada intervalo entre uma respiração e outra. E voltando pra nossa caminhada, fortalecida e mais plena por termos incluído a observação da respiração junto ao ritmo dos movimentos corporais e do fluxo de pensamentos. Pode ser que numa inspiração sejam dados 2 ou 3 passos e na expiração mais outros 2 ou 3. A respiração vai completar todo este ciclo e estratégia de vivermos no momento presente e fazermos da nossa caminhada um bela meditação. A cada inspiração imagine que está trazendo novos pensamentos e frescor pra todo corpo e a cada expiração imagine que está deixando ir velhos padrões e forma de pensar a vida.

Desejo a todos boas andanças pelas ruas reais ou pelas vias virtuais e que nossos caminhos possam se cruzarem em qualquer destes planos, sempre com a velha curiosidade e interesse em saber um pouco mais de nós mesmos. A caminhada do autoconhecimento é fascinante e reveladora. E se este artigo não foi motivador o suficiente, assista de novo e de novo "Forrest Gump."  Namastê. 

Shakyamuni

 

CAMINHADAS COMO MEDITAÇÃO E ORGANIZAÇÃO CORPORAL

Não pare e pense, ande e pense ! Caminhadas são uma forma de meditação em movimento que, com um mínimo de dedicação e estímulo, organizam todo nosso sistema corpo-mente. A mente, em seu condicionamento natural, está bastante ocupada e desejosa do futuro. Sempre a espera de que alguma nova condição poderá nos trazer felicidade e mais saúde física e emocional, em algum tempo futuro, que como a própria lei da temporariedade revela, nunca chega ou nunca se acha que adquiriu o suficiente. Passado e futuro fazem parte do tempo, já o presente é atemporal, faz parte da sagrada condição de existir, e se existe algo existencial, isto se chama o agora.

São pequenas atitudes que quebram o padrão mental de agir sempre da mesma forma. Se já sabemos que caminhar regularmente é o mínimo que podemos fazer por nossa clareza mental e emocional, podemos criativamente desfazer certos condicionamentos. Se você vai sair pra caminhar e usa o elevador, como sempre faz, já comece sua caminhada pelas escadas. Se você acostumou a pegar o carro e ir até o parque caminhar, mude isto algumas vezes, explorando a região que você mora. É sempre possível descobrir novas rotas e atitudes que podem surpreender a mente. Caminhe as vezes ouvindo música, mas experimente também sair e ouvir a natureza ou mesmo os burburinhos dos adultos, crianças, cachorros… o arranjo sinfônico é produzido por seu estado interior. Quando algo de fora incomoda muito, é sinal que se precisa olhar pra dentro. Não fique também muito preso ao tempo que gosta e precisa caminhar. Deixe o relógio em casa e siga uma intuição e sensação das próprias pernas. Você saberá facilmente de alguma forma, por quanto tempo andou, já que estamos totalmente escravizados pelos horários do dia a dia.

Se existe uma palavra que pode sintetizar oque seja meditação, esta palavra é observação. Ao sair pra caminhar, comece por observar o fluxo constante dos pensamentos e toda conversa interna. Procure não ficar preso em uma única ideia de pensamentos ou planos que esteja tendo em relação a este momento da sua vida. Troque constantemente o foco da observação. Agora vamos incluir na observação dos pensamentos, os movimentos e ritmos das pernas. Passe a observar junto com a mente, a forma como cada passo segue no ritmo do pensamento. Se há ansiedade e excessiva preocupação com futuro, podemos até nem saber que temos pernas e assim colocarmos uma sobre a outra. Volte para a observação dos pensamentos e de como cada passo está sendo dado. Observe os pés, as pernas, o quadril, o peito e principalmente o pescoço junto a cabeça. Olhe pra frente e eduque a cabeça para estar integrada e no eixo com todo o corpo pra baixo. Se os pensamentos estão por demais no tempo futuro, o pescoço e a cabeça vão também ser projetados no espaço que indica este tempo: pra frente. Então, volte pro agora.

Já unimos na nossa caminhada, a observação dos pensamentos e dos movimentos corporais. Agora vamos incluir a estas duas observações, a respiração. Certamente, muitos de vocês já ouviram falar que a respiração é a chave de percepção e entendimento sobre a vida. Viemos ao mundo com uma primeira inspiração e nos despedimos dele com um último suspiro. E como existe algo de muito sagrado que nos protege de ficar focados no medo da última expiração, tudo está sempre disponível neste momento, repleto de vida a cada intervalo entre uma respiração e outra. E voltando pra nossa caminhada, fortalecida e mais plena por termos incluído a observação da respiração junto ao ritmo dos movimentos corporais e do fluxo de pensamentos. Pode ser que numa inspiração sejam dados 2 ou 3 passos e na expiração mais outros 2 ou 3. A respiração vai completar todo este ciclo e estratégia de vivermos no momento presente e fazermos da nossa caminhada um bela meditação. A cada inspiração imagine que está trazendo novos pensamentos e frescor pra todo corpo e a cada expiração imagine que está deixando ir velhos padrões e forma de pensar a vida.

Desejo a todos boas andanças pelas ruas reais ou pelas vias virtuais e que nossos caminhos possam se cruzarem em qualquer destes planos, sempre com a velha curiosidade e interesse em saber um pouco mais de nós mesmos. A caminhada do autoconhecimento é fascinante e reveladora. E se este artigo não foi motivador o suficiente, assista de novo e de novo “Forrest Gump.”  Namastê. 

Shakyamuni

 

Por: shakyamuni

1 Comentários

  • Orlando de Freitas Prata on

    Muito bom, as pessoas tem muita dificuldade em entender o que é meditação acham que necessário se sentar na posição de buda, obrigado pelos ensinamentos shakyamuni buda namastê

    Responder

Deixe um comentário