Revista eletrônica de divulgação holística. Artigos, crônicas e parábolas de abordagens científicas e espirituais. Um portal de acesso para o autoconhecimento, a meditação e a consciência de viver com plenitude no aqui e no agora.
  • Home  /
  • Corpo-Mente   /
  • CADEIAS ARTICULARES E MUSCULARES GDS – CONHECENDO AS SEIS ESTRUTURAS BÁSICAS
CADEIAS ARTICULARES E MUSCULARES GDS – CONHECENDO AS SEIS ESTRUTURAS BÁSICAS Muscle-fibers - Godelieve Dennys-Struyf é o nome da criadora do método GDS de Cadeias Musculares, fisioterapeuta, criou o método entre 1960 e 1970. Ela estabeleceu uma conexão entre problemas posturais mais comuns e a ativação de determinados grupos de músculos e articulações. Após observar milhares de pacientes e elaborar um trabalho estatístico, ela descreveu seis tipologias, batizadas por siglas que resumem as […] Full view

Godelieve Dennys-Struyf é o nome da criadora do método GDS de Cadeias Musculares, fisioterapeuta, criou o método entre 1960 e 1970. Ela estabeleceu uma conexão entre problemas posturais mais comuns e a ativação de determinados grupos de músculos e articulações. Após observar milhares de pacientes e elaborar um trabalho estatístico, ela descreveu seis tipologias, batizadas por siglas que resumem as cadeias musculares mais ativadas em cada caso. Para ela o corpo saudável é aquele que se adapta às diferentes situações com eficiência, de modo que nenhum grupo muscular fique sobrecarregado ou sem estímulo.

Madame Godelive destaca que a partir do momento em que nascemos, nosso corpo passa a se estruturar de acordo com o ambiente e a forma como somos abordados. Essa estrutura se organiza em função de necessidade de sobreviver, de buscar, de comer, de realizar, de aprender, de se defender.

Utilizamos nosso corpo a partir daquilo que percebemos e experimentamos, para traduzir nossas emoções e nossa vivência. O corpo se expressa com a ajuda de nossos músculos, pela postura, pelo gesto e pela mímica.Mesmo se a expressão for tímida, o sistema neuromuscular é ativado da cabeça às mãos e aos pés. A razão e a emoção acionam grupos musculares.

No contexto do Método GDS, inicialmente observa-se a pessoa por meio de sua Expressão em Pé, em particular pela atenção aos modos por ela adotados para encontrar seu equilíbrio na posição em pé natural.

Na base do método, estão definidas seis forma primárias de se expressar corporalmente. Essas formas de expressão se encontram associadas às possíveis maneiras adotadas pela pessoa para garantir o equilíbrio do corpo em Pé no Plano Sagital.

Frente e atrás, acima e abaixo, esquerda e direita: o espaço em que o corpo se move é figurado por essas seis direções (representadas na figura abaixo). Nossas formas de equilíbrio e os seis grandes conjuntos musculares do corpo humano serão relacionadas aos diálogo que o corpo estabelece a partir de sua percepção, do tempo e das escolhas decorrentes.

 

A seguir, estão sintetizadas as principais características de todas as tipologias, os músculos que atuam em cada uma delas e seus aspectos. As ilustrações foram criadas pela própria Madame Godelive.

1.Expressão Corporal PM (Postero Medial)

O equilíbrio adotado impele o corpo para frente. Sentado ou em pé, todo o corpo - ou só o tronco - se inclina para adiante, sendo a atividade dos músculos posteriores que garante a sustentação dessa atitude. O corpo em pé se apoia no antepé. Se a atitude é excessiva, quanto mais o apoio incidir na ponta do pé, mais a coluna vertebral deve se arquear e o quadril fletir para recuperar o equilíbrio rompido.

Características da atitude PM: Mental, capacidade de reflexão, estrutura forte, vontade, procura esforçar-se. Compreende o mundo exterior através da leitura e estudos. Exploração: procura/pesquisa, tem espírito de combate, luta, coragem e determinação. O tipo PM vive fora do "eu", tem necessidade de limitar, controlar, fazer regras/leis. É ávido, insatisfeito, estando sempre à procura de novas conquistas - nem se apropria delas e já sai em busca de outras. Já uma estrutura PM bem organizada proporciona consciência, vivência, consistência e a força do suporte ósseo para o organismo.

2. Expressão Corporal AM (Antero Medial)

Nesse caso, o corpo - sobre tudo o tronco - está desequilibrado para trás e é a atividade dos grupos musculares anteriores que garante a manutenção dessa atitude. Na posição em pé, o corpo apoia-se nos calcanhares e se inclina - quanto mais se inclina, mais deve tentar recuperar o equilíbrio dobrando os joelhos, enquanto os músculos anteriores do tronco forçarão a coluna vertebral a enrolar-se para frente. Assim esse enrolamento em Cifose, mais ou menos acentuado, procura compensar o desequilíbrio que se instala.

Características da atitude AM: Em excesso, culpa tudo e todos pelo seu estado. Pode desenvolver doenças. Quanto mais recebe, mais quer. Está numa eterna busca de estabilidade e segurança. Possui uma natureza afetiva, sentimental, possessiva e egocêntrica. Em Equilíbrio, é a função que alimenta, que põe comida para o filho - representa a capacidade de nutrir os outros. Um AM bem estruturado, realizado, proporciona consciência do corpo, se sente amado e é capaz de amar.

3 e 4. Expressão Corporal PA/AP (Postero Anterior / Postero Posterior)

Aqui descobrimos duas estruturas em uma. Elas são próximas em função da gestão e seu equilíbrio e por inúmeros aspectos no plano comportamental, mas oferecem dinamismos que se opõem: impulso para o Alto em PA, para Baixo em AP. Suas marcas articulares, que enrijecem e até mesmo deformam o sistema locomotor, são complemente diferentes.

Características das atitudes PA/AP: Existe em cada corpo um mecanismo delicado que é pura respiração e ritmo e que não deve ser contrariado. É ele que torna possível o livre trânsito entre todas as estruturas morfocomportamentais à nossa disposição Esse mecanismo se apresenta nos músculos da cadeia AP. São eles a garantia da liberdade do corpo e, por extensão, da liberdade do comportamento. Esses tipo são idealistas, buscam o justo, belo e perfeito. Pessoas engajadas não por dinheiro, mas por um ideal. Um sistema A/AP bem estruturado, realizado, proporciona consciência e vivência de uma arquitetura interna, de uma estrutura referencial.

5. Expressão Corporal PL (Postero Lateral)

Aqui o corpo está aberto, o equilíbrio está garantido sore a base de sustentação larga O grupos musculares que intervêm são ativos, principalmente na altura dos quadris e dos ombros. São músculos abdutores e rotadores externos. Estão situados lateralmente e atrás do quadril e do ombro.

Características de uma atitude PL: Extrovertido, sociável e comunicativo, explorador e impulsivo, sedutor, espaçoso e barulhento. Um PL bem estruturado e realizado abre amplos horizontes, campos de interesse variados, uma consciência grande dos outros e do meio ambiente.

6. Expressão Corporal AL (Antero Lateral)

Aqui o corpo está fechado. Mais precisamente, encolhido lateralmente. O equilíbrio é garantido de modo mais precário, sobre uma base de sustentação bastante estreita. Aqui também tratam-se de grupos musculares essencialmente ativos na altura dos quadris e dos ombros. São músculos adutores e rotadores internos.

Características de uma atitude AL: Respira muito pouco, bloqueia os intestinos, problemas digestivos, introvertido. Um AL bem estruturado e realizado é organizado e resistente; quando fala é porque tem algo a dizer e é também um bom ouvinte.

 

http://estaremsi.com.br/formacao-em-massagem-terapeutica-com-jaganu/

CADEIAS ARTICULARES E MUSCULARES GDS – CONHECENDO AS SEIS ESTRUTURAS BÁSICAS

Godelieve Dennys-Struyf é o nome da criadora do método GDS de Cadeias Musculares, fisioterapeuta, criou o método entre 1960 e 1970. Ela estabeleceu uma conexão entre problemas posturais mais comuns e a ativação de determinados grupos de músculos e articulações. Após observar milhares de pacientes e elaborar um trabalho estatístico, ela descreveu seis tipologias, batizadas por siglas que resumem as cadeias musculares mais ativadas em cada caso. Para ela o corpo saudável é aquele que se adapta às diferentes situações com eficiência, de modo que nenhum grupo muscular fique sobrecarregado ou sem estímulo.

Madame Godelive destaca que a partir do momento em que nascemos, nosso corpo passa a se estruturar de acordo com o ambiente e a forma como somos abordados. Essa estrutura se organiza em função de necessidade de sobreviver, de buscar, de comer, de realizar, de aprender, de se defender.

Utilizamos nosso corpo a partir daquilo que percebemos e experimentamos, para traduzir nossas emoções e nossa vivência. O corpo se expressa com a ajuda de nossos músculos, pela postura, pelo gesto e pela mímica.Mesmo se a expressão for tímida, o sistema neuromuscular é ativado da cabeça às mãos e aos pés. A razão e a emoção acionam grupos musculares.

No contexto do Método GDS, inicialmente observa-se a pessoa por meio de sua Expressão em Pé, em particular pela atenção aos modos por ela adotados para encontrar seu equilíbrio na posição em pé natural.

Na base do método, estão definidas seis forma primárias de se expressar corporalmente. Essas formas de expressão se encontram associadas às possíveis maneiras adotadas pela pessoa para garantir o equilíbrio do corpo em Pé no Plano Sagital.

Frente e atrás, acima e abaixo, esquerda e direita: o espaço em que o corpo se move é figurado por essas seis direções (representadas na figura abaixo). Nossas formas de equilíbrio e os seis grandes conjuntos musculares do corpo humano serão relacionadas aos diálogo que o corpo estabelece a partir de sua percepção, do tempo e das escolhas decorrentes.

 

A seguir, estão sintetizadas as principais características de todas as tipologias, os músculos que atuam em cada uma delas e seus aspectos. As ilustrações foram criadas pela própria Madame Godelive.

1.Expressão Corporal PM (Postero Medial)

O equilíbrio adotado impele o corpo para frente. Sentado ou em pé, todo o corpo – ou só o tronco – se inclina para adiante, sendo a atividade dos músculos posteriores que garante a sustentação dessa atitude. O corpo em pé se apoia no antepé. Se a atitude é excessiva, quanto mais o apoio incidir na ponta do pé, mais a coluna vertebral deve se arquear e o quadril fletir para recuperar o equilíbrio rompido.

Características da atitude PM: Mental, capacidade de reflexão, estrutura forte, vontade, procura esforçar-se. Compreende o mundo exterior através da leitura e estudos. Exploração: procura/pesquisa, tem espírito de combate, luta, coragem e determinação. O tipo PM vive fora do “eu”, tem necessidade de limitar, controlar, fazer regras/leis. É ávido, insatisfeito, estando sempre à procura de novas conquistas – nem se apropria delas e já sai em busca de outras. Já uma estrutura PM bem organizada proporciona consciência, vivência, consistência e a força do suporte ósseo para o organismo.

2. Expressão Corporal AM (Antero Medial)

Nesse caso, o corpo – sobre tudo o tronco – está desequilibrado para trás e é a atividade dos grupos musculares anteriores que garante a manutenção dessa atitude. Na posição em pé, o corpo apoia-se nos calcanhares e se inclina – quanto mais se inclina, mais deve tentar recuperar o equilíbrio dobrando os joelhos, enquanto os músculos anteriores do tronco forçarão a coluna vertebral a enrolar-se para frente. Assim esse enrolamento em Cifose, mais ou menos acentuado, procura compensar o desequilíbrio que se instala.

Características da atitude AM: Em excesso, culpa tudo e todos pelo seu estado. Pode desenvolver doenças. Quanto mais recebe, mais quer. Está numa eterna busca de estabilidade e segurança. Possui uma natureza afetiva, sentimental, possessiva e egocêntrica. Em Equilíbrio, é a função que alimenta, que põe comida para o filho – representa a capacidade de nutrir os outros. Um AM bem estruturado, realizado, proporciona consciência do corpo, se sente amado e é capaz de amar.

3 e 4. Expressão Corporal PA/AP (Postero Anterior / Postero Posterior)

Aqui descobrimos duas estruturas em uma. Elas são próximas em função da gestão e seu equilíbrio e por inúmeros aspectos no plano comportamental, mas oferecem dinamismos que se opõem: impulso para o Alto em PA, para Baixo em AP. Suas marcas articulares, que enrijecem e até mesmo deformam o sistema locomotor, são complemente diferentes.

Características das atitudes PA/AP: Existe em cada corpo um mecanismo delicado que é pura respiração e ritmo e que não deve ser contrariado. É ele que torna possível o livre trânsito entre todas as estruturas morfocomportamentais à nossa disposição Esse mecanismo se apresenta nos músculos da cadeia AP. São eles a garantia da liberdade do corpo e, por extensão, da liberdade do comportamento. Esses tipo são idealistas, buscam o justo, belo e perfeito. Pessoas engajadas não por dinheiro, mas por um ideal. Um sistema A/AP bem estruturado, realizado, proporciona consciência e vivência de uma arquitetura interna, de uma estrutura referencial.

5. Expressão Corporal PL (Postero Lateral)

Aqui o corpo está aberto, o equilíbrio está garantido sore a base de sustentação larga O grupos musculares que intervêm são ativos, principalmente na altura dos quadris e dos ombros. São músculos abdutores e rotadores externos. Estão situados lateralmente e atrás do quadril e do ombro.

Características de uma atitude PL: Extrovertido, sociável e comunicativo, explorador e impulsivo, sedutor, espaçoso e barulhento. Um PL bem estruturado e realizado abre amplos horizontes, campos de interesse variados, uma consciência grande dos outros e do meio ambiente.

6. Expressão Corporal AL (Antero Lateral)

Aqui o corpo está fechado. Mais precisamente, encolhido lateralmente. O equilíbrio é garantido de modo mais precário, sobre uma base de sustentação bastante estreita. Aqui também tratam-se de grupos musculares essencialmente ativos na altura dos quadris e dos ombros. São músculos adutores e rotadores internos.

Características de uma atitude AL: Respira muito pouco, bloqueia os intestinos, problemas digestivos, introvertido. Um AL bem estruturado e realizado é organizado e resistente; quando fala é porque tem algo a dizer e é também um bom ouvinte.

 

FORMAÇÃO EM MASSAGEM TERAPÊUTICA COM JAGANU

Por: shakyamuni

Posts Relacionados

Deixe um comentário